• NEMAlgarve

Artigo publicado sobre o caranguejo azul na costa sudoeste de Portugal


Publicado na revista Estuaries and Coasts a 09 de Junho de 2022. Mais detalhes aqui.


A nossa equipa publicou em Junho de 2022 um artigo sobre a possível expansão do caranguejo azul (Callinectes sapidus) para a costa sudoeste de Portugal, com recurso a registos enviados para o NEMA. Os registos do NEMA incluem 1 observação em Sesimbra em 2019 e 3 observações no estuário do Mira em 2020. Estes são os únicos registos conhecidos desde o último que havia conhecimento na costa oeste de Portugal em 2009 no Sado.


A coincidência entre o período de desova da espécie e a ocorrência sazonal de contra-correntes costeiras, pode facilitar o transporte de ovos e larvas entre a costa sul do Algarve e a costa oeste. Estas correntes originam-se no Golfo de Cadiz, percorrendo toda a costa sul no sentido este-oeste, podendo seguir para norte junto à costa, e alcançando mesmo o cabo de Sines.


No decorrer deste trabalho foi também possível "reescrever" a história da invasão do caranguejo azul em Portugal através da recuperação de registos históricos em museus. Enquanto até agora se pensava que o primeiro registo em Portugal tinha sido em 1978 no rio Tejo, foi descoberto um registo de Julho de 1967 e outro de Outubro de 1977, ambos também no rio Tejo. Entre outros registos históricos, foi também descoberto um registo no estuário do Sado em Setembro de 1984, quando até há pouco tempo o primeiro registo conhecido no Sado datava de 2009.


Um agradecimento especial a quem enviou os seus registos de caranguejo azul para o NEMA, mas também ao Aquário Vasco da Gama e ao Museu Nacional de História Natural e da Ciência pela informação valiosa sobre os registos que possuem nas suas coleções.